EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL

Graduada em Ciências Jurídicas e Sociais pela UFRGS, com láurea acadêmica. Daniele tem experiência em contencioso judicial, atuando em demandas complexas relacionadas ao direito civil e societário. Há dois anos, realiza pesquisas relacionadas ao direito e tecnologia, com ênfase em inteligência artificial e proteção de dados.

formação
• Bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais (UFRGS, 2020).
• Curso de “Anglo-American Business Law” (carga horária de 145h). University College London, 2019.

 

reconhecimento
• Láurea acadêmica (UFRGS, 2020).
• Menção Honrosa como Oradora na X Competição Brasileira de Arbitragem e Mediação Empresarial (CAMARB, 2019).
• 2ª Melhor Oradora na V Regional Sul, preparatória para a Competição Brasileira de Arbitragem e Mediação Empresarial – CAMARB (OAB, 2019).
• Destaque com Indicação ao Prêmio Jovem Pesquisador no XXXI Salão de Iniciação Científica da UFRGS, pelo trabalho “Inteligência Artificial nos Tribunais: do COMPAS e a Suprema Corte de Wisconsin aos desafios dos robôs nas Cortes Brasileiras”, sob orientação da Prof.ª Dra. Maria Cláudia Cachapuz (UFRGS, 2019).

 

publicações
• MARCON, Daniele Verza; DUTRA, Erika. Donin; IRION, Lukas da Costa. Artificial intelligence in arbitration: should we consider the possibility of decision-rendering AI? Young Arbitration Review, Lisboa, Portugal, p. 14 – 19, 31 jan. 2020.
• MARCON, Daniele Verza. Inteligência Artificial nos Tribunais: os desafios sobre o uso de robôs e a responsabilidade civil. In: Maria Cláudia Cachapuz. (Org.). Direito Privado e liberdades civis (Ensaios acadêmicos). 1 ed. Porto Alegre: AMAZON – Publicação Independente, 2020, v. 1, p. 4441-4881.

 

atividades adicionais
• Membro das equipes que representaram o escritório Souto, Correa, Cesa, Lummertz & Amaral na Competição Brasileira de Arbitragem e Mediação Empresarial – CAMARB, nas edições de 2018 e 2019.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Artigo
30/04/2021 - Os incidentes de segurança na Lei Geral de Proteção de Dados: pequenos avanços
Artigo
02/08/2021 - A saga da LGPD: o que esperar das sanções administrativas – ESTADÃO